CelebridadesColuna SocialEntretenimentoFilmesMúsicaPais e FilhosBicho Animal
Reprodução/ HBO Max

5 razões para assistir The White Lotus na HBO

Críticas, explicações e curiosidades sobre a série que todos comentam. Como se tornou queridinha da crítica? Temporada 1 e Temporada 2? Saiba tudo!

Da Redação, publicado em 20/09/2021 e atualizado hoje.

A primeira vez que ouvi falar da série The White Lotus, da HBO Max, foi durante o Papo de Segunda, com Fábio Porchat e Tati Bernardi elogiando. A escritora afirmou que tomava notas do roteiro da série de tão fantástica que ela seria. Depois foi Emílio Surita, na rádio, também com críticas elogiosas. Convidando os ouvintes para que assistissem os seis episódios da primeira temporada de The White Lotus. A série estreou em julho de 2021 na HBO Max. E a notícia da renovação para a Temporada 2 ocorreu em agosto de 2021.

Mas o que essa série tem de tão especial assim? Por que se tornou a queridinha dos críticos? Já está na lista das séries aclamadas pela crítica como cartão de visita para a HBO Max. Eu fiz a minha assinatura justamente para matar minha curiosidade com The White Lotus Temporada 1.

Agora sem mais delongas. Vamos avaliar críticas e curiosidades sobre a série. Por que vale a pena assistir? Por que só se falam nela? Você entendeu o final? O que achou do último capítulo? O que esperar da Temporada 2 com episódios inéditos? Só atenção para os alertas de spoilers. Explicamos a primeira cena do episódio 1, com o nosso valentão no aeroporto e falando mal sobre o hotel. Na sequência vem o destaque de 'alguns dias atrás'. E então temos o início da série.

Críticas The White Lotus

A série fala sobre o quê? Vamos para a sinopse desta sátira impecável: The White Lotus acompanha uma semana de férias dos hóspedes do resort The White Lotus. O lugar é paradisíaco. Um resort de luxo para a elite americana no Havaí. Vamos acompanhando questões envolvendo os turistas e também os funcionários do hotel. São criadas diferentes narrativas entre os envolvidos. Com comédia ácida, suspense e drama - podemos refletir e se divertir com a série.

A criação, direção e roteiro fica com Mike White. O cineasta consegue passar um tom fantástico do início ao fim. Mike White teve a dificuldade de encarar as gravações durante a pandemia. Por isso temos um elenco enxuto na Temporada 1. Mas isso se torna vantagem. Porque nos apegamos demais com todos os personagens do elenco.

Críticas: foram as melhores possíveis na primeira temporada. O portal de críticas internacionais deu 7,7 estrelas. No Rotten Tomatoes, o tomatômetro estava em 85% durante a nossa consulta. O Omelete deu 4 ovos para a série (5 seria a nota máxima). CinePop deu 4,5 estrelas. Patrícia Kogut afirmou que temos uma das melhores produções desta temporada, na lista das melhores séries do ano de 2021. Entre outros tantos elogios.

Trailer da série da HBO Brasil, via HBO Max

Elenco: Quem é quem

* Murray Bartlett, o gerente do hotel, Armond. Talvez tenhamos aqui o nosso protagonista. Atuação impecável. O gerente Armond é uma pilha de nervos. Sob aparência gentil e roupas suaves. O sorriso no rosto esconde suas vontades, seus vícios e seus problemas.

* Connie Britton, a poderosa Nicole Mossbacher. Uma executiva poderosa que passa os dias rearrumando os móveis do hotel para que o cenário não atrapalhe sua reunião por Zoom com a China. Onde ela falhou como mãe? Onde falhou como esposa?

* Sydney Sweeney, a filha de Nicole, a patricinha Olivia Mossbacher. Ela e a amiga são adolescentes progressistas, supostas leitoras de Nietzsche e Freud. Não. Na verdade fazem estragos por onde passam. Fofocando, comentando, invejando, desejando. Se sentem diferentes e evoluídas. Mas não são.

* Steve Zahn, o pai da família e marido de Nicole, Mark Mossbacher. Um cara complexado. Complexado por ganhar menos que a esposa. Complexado pelas traições do passado. Complexado quando descobre verdades sobre seu pai. Um figuraça da série.

* Brittany O'Grady, a amiga da filha de Nicole, a Paula. Em determinado momento podemos imaginar que Paula está agindo corretamente. Contra tudo e contra todos. Defendendo o novo namorado desta elite branca. Porém, ah, porém. Tudo deu errado. E ela vai se sentir muito culpada por tudo o que fez.

* Fred Hechinger, o filho caçula Quinn Mossbacher. Talvez tenhamos aqui o nosso personagem que descobriu a felicidade pelo caminho certo. Antes era viciado em games e celular. Mas tem a redenção. Acaba descobrindo as belezas do mundo e da natureza.

* Jennifer Coolidge, a solitária Tanya McQuoid. A herdeira solitária que precisa espalhar as cinzas da mãe e faz promessas vazias para a atendente do SPA. Ela debruça toda a sua carência em cima de Belinda. Mas depois a descarta como quem descarta um guardanapo usado.

* Natasha Rothwell, a administradora do spa do hotel, Belinda. Um ponto solitário de conforto e paciência no início da série. Mas a paciência acaba. Principalmente quando está consolando Rachel após tomar um fora de McQuoid. Belinda simplesmente pega suas coisas e deixa Rachel falando sozinha.

* Alexandra Daddario, a esposa em lua de mel, Rachel. Linda e do corpo perfeito. A esposa ideal. O troféu. Mas ela não quer se ver assim. Ela tenta batalhar pela carreira de jornalista simples e de salário baixo. Não consegue. Depois tenta terminar o casamento. Não consegue. A verdade é que não consegue se desfazer dos benefícios da vida de esposa do milionário.

* Jake Lacy, o marido milionário e filho da mamãe, Shane Patton. Está em lua de mel com a mulher perfeita. Mas não consegue superar a amargura de ter uma suíte menor. Ele quer o quarto Abacaxi. E não aceita o erro do hotel. Ele recebe a visita da mãe durante a lua de mel. Talvez seja o personagem mais odiado da série?

Onde é esse hotel de verdade?

A gravação do The White Lotus é realizada no Four Seasons Maui, um resort de luxo em Wailea. O cenário do resort é um sonho e os dias são perfeitos. Mas é difícil lidar com o tédio. Chama atenção a abertura da série:

Paraíso tropical. Pássaros, macacos, vegetação, frutas, onça sorrindo, música do Havaí, aquela maravilha. Mas também temos o lado obscuro de tudo isso.

Elenco no Brasil? The Noite entrevista elenco da série The White Lotus.

Reflexões da série The White Lotus

A moral da história é que não dá para ser feliz? É impossível sermos pessoas perfeitas e de sentimentos puros e genuínos? :) É impressionante como reconhecemos os personagens na nossa vida real. Essa soberba. Esse sentimento genuíno da pessoa achar que está fazendo a coisa certa e de que é perfeita. Mas na verdade ela está sendo extremamente preconceituosa e egoísta. Enfim, destaco neste artigo a opinião da colunista do jornal O Globo, Cora Rónai, que define muito bem as reflexões sobre a série.

'Os hóspedes são ricos, mimados e estão de férias; os funcionários lutam para sobreviver e estão no paraíso a trabalho (...) Todos são pessoas horríveis, mas têm pontos de vulnerabilidade. E o mal que fazem é inconsciente. Nenhum é vilão no sentido tradicional. Os principais temas abordados por Mike White são privilégio branco, a desigualdade social, a luta de classes, o feminismo, o racismo, a herança do colonialista e a hipocrisia da cultura americana do 'woke', o politicamente correto', criticou.

Nada escapa da série. 'Trata-se de um resumo das pautas e dos estereótipos do nosso tempo. Mas tem o bom senso de não tratá-los como discurso. Em vez disso, toma-os como base para uma comédia desconfortável. Brilhante do começo ao fim', elogiou Cora.

Grande mistério do primeiro e do último capítulo

Olha o spoiler! Um grande mistério é plantado logo na primeira cena de The White Lotus. O marido Shane Patton está sozinho no aeroporto. Começa a conversar com um casal. E eles comentam sobre a morte de uma pessoa no hotel. Quem seria? Passamos todos os episódios acreditando que seria Rachel, sua esposa, até por todo o cenário que é construído neste sentido. Com direito a facada na suíte Abacaxi. Será? Mas no último capítulo... (você já assistiu, certo? Spoiler máximo agora). No último capítulo nós nos despedimos de Armond :(

5 razões para assistir

1: Críticos fizeram elogios classificando-a como a melhor série de 2021.
2: Faz reflexões e críticas duras com temas da atualidade.
3: Série não tem vilões ou mocinhos. Todos podem ser vilões e mocinhos.
4: Trilha-sonora incrível e agoniante. Veja as músicas abaixo.
5: Roteiro inteligente. Uma sátira provocativa. E que vai te deixar pensando por um bom tempo.

Trilha-sonora de The White Lotus

Todas as músicas da série estão disponíveis no Spotify. Aqui destacamos as seguintes músicas da trilha-sonora: Aloha! (Cristobal Tapia De Veer), Pineapple Suite (Cristobal Tapia De Veer), Jungle Fever, Rejuvenated, Pool Walk, Dinner, Courtship, Special Chosen Baby Child, Honeymoon, Ocean Call, entre outras. As músicas de suspense são as melhores desta trilha. Todas com a assinatura de Cristobal Tapia De Veer.

Temporada 2

O que esperar da segunda temporada de The White Lotus? Vamos acompanhar a nova viagem de lua de mel do casal? Como fica a solitária herdeira com seu novo namorado? E quem será o substituto de Armond no The White Lotus? Como será a vida do filho rico agora sozinho com o povo local? As melhores amigas conseguirão superar o episódio ocorrido na primeira temporada? O casamento da poderosa Nicole vai voltar ao normal?

São questões que deixamos para a Temporada 2 da série, após seis episódios incríveis da Temporada 1. Sobre o final do episódio 6, minha tristeza foi ver o fim de Armond, o meu protagonista da temporada 1. Ele deveria aparecer na Temporada 2, nem que seja por imagens de flashback.

Já assistiu The White Lotus?

Você já assistiu The White Lotus na HBO Max? Vale a pena assistir! Para quem já assistiu, deixo abaixo os comentários abertos. Vamos trocar críticas e reflexões sobre a série. Aguardo o seu ponto de vista. E a forma como enxergou esta incrível e surpreendente comédia.

Compartilhe com um amigo!

Comentários